wordpress stat
Receita de Pudim flan de abóbora

A magia de uma abóbora

01


Estou eu, a Cinderela e a abóbora. Não sei se a transforme em pudim ou em carruagem…
A segunda hipótese seria muito mais óbvia.



02

Pudim Flan de abóbora

Flan
400 g de abóbora crua e sem casca
90 g de açúcar
200 ml de leite m.g.
4 ovos
¼ de colher de chá de canela moída

Caramelo
100 g de açúcar
25 ml de vinho do Porto Tawny

Pré-aquecer o forno a 165ºC.
Preparar um tabuleiro de forno com cerca de 5 cm de altura com 4 cm de água quente e colocar dentro do forno.
Numa frigideira ou tacho de fundo pesado, colocar o açúcar e o vinho do Porto e levar a lume médio.
Deixar açúcar cozer, movendo apenas a frigideira levemente se o açúcar começar a queimar mais num lado do que noutro, até que fique com um tom de caramelo dourado escuro.
Verter o caramelo uniformemente numa forma de pudim com cerca de 14 cm de diâmetro e 8 cm de altura e reservar.
Cortar a abóbora em cubos com cerca de 4 cm.
Cozer a abóbora até que fique tenra.(Pode cozer-se num tacho com água; no fogão, num tabuleiro/pirex no forno a 180º C durante cerca de 30-40 minutos ou no microondas: eu cozi durante 7 minutos a 650 W numa taça tapada com película aderente).
Depois da abóbora estar cozida, escorrer bem e pesar 250 g.
Numa taça, misturar a abóbora cozida com o açúcar, a canela, o leite e os ovos e passar tudo com uma varinha mágica.
Verter o creme na forma e colocar dentro do tabuleiro de água para cozer em banho-maria.
Cozer o pudim durante cerca de 45 minutos ou até que esteja coalhado (ao colocar os dedos sobre a superfície do pudim, esta deve estar firme.
Retirar do forno e deixar arrefecer completamente sobre uma grade de pastelaria ou refrigerar.
Desenformar frio sobre um prato.

O pudim desenforma-se sempre completamente frio para não se desfazer. Por outro lado, se o tiver retirado do friogorífico, aguarde que o pudim chegue à temperatura ambiente antes de o desenformar para que o caramelo amoleça. Também pode mergulhar a forma em água quente ou passar um maçarico na base da forma para o “soltar”.




Comentários

9 Comentários to “Receita de Pudim flan de abóbora”

  1. Lina em 22 Janeiro, 2013

    Seguramente uma receita a experimentar! Está lindo, e deve ser muito bom.

  2. Patrícia em 22 Janeiro, 2013

    Ai Leonor, Leonor…o que tu foste fazer: eu com 3 abóboras em casa, já destinadas para a compota! 😀

    Também, o que são 400g….vou fazer!! 🙂

    Uma boa semana!*

  3. Ana Rita Lebreiro em 22 Janeiro, 2013

    nunca fiz pudim…. parece ser sincera tenho medo que me saia mal. A minha fazia-o dentro da panela de pressão e eu perguntava-lhe “como sabes a quantidade de água? e se ficar sem água?”. Algum dia vou ter que me atrever a fazer… talvez com esta receita 🙂
    bjs

  4. Lígia Bastos em 22 Janeiro, 2013

    Olá Leonor eu adoro pudim de abóbora, no meu a receita é semelhante mas acrescento cerca de 60 gr de coco ralado.

  5. Conceição Sendas em 22 Janeiro, 2013

    Hmmm, tenho de experimentar!! Parecem ser deliciosos! 🙂

  6. Conceição Sendas em 22 Janeiro, 2013

    O comentário anterior referia-se aos papos de anjo de chocolate!
    Mas este pudim de abóbora também não me vai escapar… 🙂
    Obrigada!!

  7. Mafalda Vale em 22 Janeiro, 2013

    Ai que maravilha de pudim… acho que agora comia 2 ou 3 fatias.. 🙂
    beijinhos

  8. Da abóbora ao pudim* Pumpkin until pudding « panela sem (de)pressão em 9 Fevereiro, 2013

    […] as sugestões da Leonor deixam-me sempre vontade de experimentar. E por isso fiz, pela primeira vez, um pudim flan. Na […]

  9. Patrícia em 23 Novembro, 2016

    Olá Leonor!
    Espero que esteja tudo bem convosco!
    Apesar de já quase não haver actualizações no blog, volta e meia ainda aqui dou uma espreitadela, para ver se há novidades…

    Hoje andava por acaso à procura da compota de pêras e chocolate: lembro-me de a ter imprimido há muitos anos, mas acabei por não experimentar na altura — a lista de espera é imensa! — e agora não a encontro. Vi noutro dia, numa loja online, esta compota da Christine Ferber (coincidência?) e tenho ali uma caixinha de pêras rocha mesmo a pedi-las… mas isso é outra história!
    Ao procurar pelas pêras encontrei por acaso este pudim e tenho duas perguntinhas:
    1) Que abóbora devo usar? Tenho ali uma butternut há algum tempo, quase esquecida e à espera de melhor destino que a já tão batida (mas adorada pelos filhotes) sopa de abóbora com côco. Achas que fica igualmente bom, ou seria melhor usar uma hokkaido/abóbora-menina/ou outra neste pudim?
    2) Quando se põe o pudim no forno, a forma vai tapada ou destapada? Normalmente faço pudim num tacho fundo (não tenho panela de pressão) e a forma tem que ir com tampa.

    Beijinhos,
    Patrícia

Comentar