wordpress stat
Receita de rabanadas

A cinco receitas do Natal…




Natal, e não Dezembro

Entremos, apressados, friorentos,
Numa gruta, no bojo de um navio,
Num presépio, num prédio, num presídio,
No prédio que amanhã for demolido…
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos, e depressa, em qualquer sítio,
Porque esta noite chama-se Dezembro,
Porque sofremos, porque temos frio.
Entremos, dois a dois: somos duzentos,
Duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
A cave, a gruta, o sulco de uma nave…
Entremos, despojados, mas entremos.
De mãos dadas talvez o fogo nasça,
Talvez seja Natal e não Dezembro,
Talvez universal a consoada.

David Mourão-Ferreira







Rabanadas

3 ovos
12 fatias de pão de cacete de véspera com cerca de 1,5 cm de espessura.
400 ml de leite
1 raspa de limão
Óleo de girassol para fritar

Calda
400 ml de água
600 g de açúcar
1 raspa de limão
1 pau de canela

Bater os ovos numa taça.
Levar o leite e a raspa de limão ao lume num tacho até ferver. Retirar o leite do lume.
Mergulhar as fatias de pão no leite, de forma a ficarem bem ensopadas e colocar num prato.
Passar as fatias de pão por ovo e fritar até que fiquem douradas de ambos os lados.
Colocar as rabanadas numa taça.

Num tacho, misturar o açúcar com a água e os aromatizantes e deixar ferver até que o açúcar se dissolva completamente.
Retirar do lume e verter a calda sobre as rabanadas.




Comentários

18 Comentários to “Receita de rabanadas”

  1. fatima duarte em 19 Dezembro, 2010

    Lindas…..
    obrigada

  2. belinhagulosa em 19 Dezembro, 2010

    Que lindas ficaram amiga,um post sempre perfeito,bjokinhas amiga

  3. Juanna em 19 Dezembro, 2010

    Por incrível que pareça, as rabanadas espanholas são mais saborosas que as portuguesas. Talvez porque usam um pão especial para o efeito, não sei.

  4. Leonor de Sousa Bastos em 19 Dezembro, 2010

    Olá Juanna,

    As rabanadas são um doce que se faz em várias partes do mundo, apesar de serem conhecidas com diferentes nomes. Em Espanha chamam-se torrijas mas consistem exactamente na mesma coisa.

    O que acontece é que há imensas formas diferentes de preparar as rabanadas.
    Há variações com mel ou com vinho, fritas em óleo ou azeite, com ou sem calda, com diferentes aromatizantes, com mais ou menos açúcar, com pão de cacete ou até mesmo brioche, etc…

    A questão é: quais é que provou das portuguesas e quais é que provou das espanholas? :)

  5. Tulicreme em 20 Dezembro, 2010

    Estão muito lindas, mas estão doces por dentro? Fico sempre desconsolada quando como rabanadas que são insípidas.
    A receita da minha mãe é parecida, mas no leite que vai ao lume leva montes de açúcar e mais um pau de canela. Além disso, depois de as fritar, são polvilhadas com uma mistura de açúcar e canela. E a calda inclui também um cálice de vinho do Porto…

  6. Leonor de Sousa Bastos em 20 Dezembro, 2010

    Olá Tulicreme,

    Aqui no Flagrante Delícia sou apologista que “beleza não se põe na mesa” no sentido de não procurar iludir ninguém com uma imagem bonita de uma receita que não resulte.

    Também não gosto de rabanadas insípidas e nem de qualquer tipo de comida sem sabor e, se achasse que as minhas rabanadas sofriam desse mal não as teria publicado.

    Tal como já disse acima, há imensas variações no que respeita a receitas de rabanadas. Esta foi a versão que me apeteceu fazer este ano e com a certeza que resulta… no frigorífico já não há nenhuma! :)

    Beijinhos,

    Leonor

  7. Bombom em 20 Dezembro, 2010

    É verdade, Leonor, há muitas maneiras de fazer Rabanadas.
    Creio que para isso contribui o gosto pessoal aliado à tradição vivida por cada um. Em minha casa quando éramos pequenos serviam-se cobertas com açúcar e canela. Mas quando me casei passei a fazê-las tal como as tuas, embebidas em calda de açúcar como a que referes, aromatizada com um bom cálice de Vinho do Porto. E fazem sucesso! Só não consigo que fiquem tão bonitas na fotografia, mas cá em casa não há um Artista como o teu!
    Feliz Natal para vocês dois e obrigada pelas Coisas Belas com que nos presenteiam durante todo o Ano! Bjs. Bombom

  8. Juanna em 20 Dezembro, 2010

    Bom, a verdade é que, nos últimos anos, rabanadas portuguesas só comi as da minha avó e da minha sogra e de uma ou outra pastelaria. Não gostei por aí além, talvez porque achei o pão demasiado gordo, seco por dentro e apenas se sentia um ligeiro sabor a canela. As espanholas que como são de pastelarias aqui do meu bairro (em Madrid) e são empapadas, encharcadas numa calda não demasiado doce, o pão é diferente (explicaram-me depois que usam um pão próprio para o efeito), é mais esponjoso. Para tirar teimas, vou mas é fazer a receita que a Leonor aqui coloca! Obrigada.

  9. Tulicreme em 20 Dezembro, 2010

    Ok, se já não há nenhuma no frigorífico, estou convencida!
    😀
    Feliz Natal

  10. purita em 20 Dezembro, 2010

    há várias maneiras de fazer, mas normalmente só se gosta de uma, as da mãe. as da minha não têm calda, são só passadas por açucar e canela e o leite tb leva um pau de canela. gosto de deitar um fio de vinho do porto antes de comer!:)

  11. Léia Silva em 20 Dezembro, 2010

    Querida Leonor
    Nunca comi rabanadas, quero experimentar!
    Um abraço e tenha um Santo Natal.
    Léia

  12. moranguita em 21 Dezembro, 2010

    leonor as ruas rabanadas estao fantasticas
    por acaso ca em casa nao temos habito de fazer
    mas adoramos.
    eu tenho iemnsas saudades de comer e faze
    quem sabe se este ano nao mudo as regras:-()
    beijinhos

  13. Isabel Pinto em 21 Dezembro, 2010

    Espectacular… Há muito que esperava por esta receita :)

  14. rita em 22 Dezembro, 2010

    ola!
    eu adoro rabanadas e faço sempre.
    este ano vou experimentar as suas.
    costumo embebê-las em ovo (gemas) e depois mergulho na calda de açúcar a ferver com pau de canela e casquinhade limão e laranja (como se fosse o óleo). A canela vem no fim, a polvilhar.
    Chamam-se rabanadas do convento.
    Ainda não consegui decidir se gosto mais com pão de cacete ou forma (tiro as codeas).
    Mts parabéns pelo site, é a 1ª vez que comento, mas tenho vindo sempre a seguir!
    Feliz Natal!

  15. António Lobo em 24 Dezembro, 2010

    Belas e simples receitas!
    Inovação e tradição.
    Feliz Natal

  16. Paula Guimarães em 28 Dezembro, 2010

    Adoro o seu site.

    em relação às rabanadas, assim como a aletria, em minha casa são feitas à “maneira pobre” tal como a minha avó diz: o leite é substituido por chá de limão bem forte! ADORO! feitas com leite não consigo comer…

    como alguém já disse em cima: não há como as tradições de cada casa! :)

    beijinhos!

  17. pingpong em 22 Dezembro, 2012

    Lindas que ficaram!!!
    Bigada!
    Feliz Natal!!!!!

  18. Ana Champ. em 24 Janeiro, 2013

    Olá Leonor!
    Muito obrigada por mais uma receita maravilhosa.
    Confesso que sou fã de qualquer tipo de rabanadas e digo-lhe que já experimentei várias diferentes e em vários países. Mas esta receita é exactamente a minha preferida!
    A Leonor partilha neste espaço a sua sabedoria e não posso deixar de agradecer, é tudo maravilhoso!
    Mas o que eu gostava mesmo é de provar as rabanadas feitas por si. Tenho a certeza que serão as melhores que eu alguma vez provarei!!!
    Muito obrigada e continue a adoçarnos a vida.
    Bjs
    Ana

Comentar




    Translation





  • Últimos posts

  • Receitas por categoria

  • Arquivos